SOBRE     |     FALE CONOSCO

ARTIGOS

Olimpíadas: Uma via de despertamento no Brasil

POSTADO EM 05/05/2016 16:08:00 POR: VNOTÍCIA

Caroline Nunes *

 

Certamente, sediar os jogos olímpicos e paraolímpicos traz uma grande honra para toda nação que assim o faz: o florescimento do patriotismo e da esperança de dias melhores, bem como a interação dos países em uma perspectiva igualitária são sentimentos amistosos que unem todo um povo para celebrar o esporte.

 

O Brasil recebe os jogos olímpicos em 2016 e muitas questões práticas e de suma importância estão sendo versados há anos, como a construção e reforma de estádios, arenas, hotéis e aeroportos. Mas, depois do evento, o que realmente ficará como legado para a população brasileira?

A palavra legado vem do latim "legatúm" que significa deixado em testamento, o dicionário Aurélio traz o significado: "valor fixado, deixado por outro". Porém o legado destas olimpíadas estão sendo construídos pelos próprios brasileiros!

 

Ao analisar as primeiras olimpíadas que ocorreram na Grécia, por volta de 2500 anos a.C. percebe-se que estas tiveram objetivo religioso e político: homenageavam o deus Zeus e buscavam a paz entre as cidades-estado então em guerra.

 

No mesmo período histórico, estava sendo implementado na Roma Antiga o chamado Panem et Circenses (pão e circo), em que o governo Romano utilizava da estratégia política de distribuir pão e criar atividades circenses para entreter o povo e mantê-lo alienado, impedindo-o de se envolver com as atividades políticas da época.

 

Analisando o cenário político atual, percebe-se que ao contrário do que acontecia na Roma Antiga, as olimpíadas para o Brasil não representam apenas um evento esportivo, ou uma distração, mas pelo contrário, as olimpíadas estão incentivando e despertando o povo para se envolver com as questões políticas de seu país. Lutando por educação e por uma sociedade mais justa. Um povo atento e realmente decidido e engajado.

 

O Brasil não pode perder a oportunidade em que está passando, despertar-se enquanto nação, se impor perante as injustiças sociais e celebrar olimpíadas que valorizem a educação e o esporte, instrumentos para uma real mudança de vida, mudança de um país.

 

 

* Caroline Nunes é estudante do Curso Técnico de Eletrônica do IFF-Macaé e foi escolhida com essa redação para participar do revezamento da tocha olímpica.

 

VEJA TAMBÉM