SOBRE     |     FALE CONOSCO

GERAL

Plano de Mobilidade Urbana será discutido nesta quarta-feira (16) em SFI

Empresa contratada pelo município apresentará estudo à população

POSTADO EM 15/03/2016 18:00:00 POR: VNOTÍCIA

 

São Francisco de Itabapoana sediará nesta quarta-feira, 16-03, um encontro para debater o Plano de Mobilidade Urbana do Município. O evento será no Salão Ana Festas, na Avenida Edenites da Silva Viana, 175,  às 18 horas.

 

A empresa Monteiro e Manhães, contratada pela Prefeitura de São Francisco de Itabapoana para elaboração do documento, colocará em discussão o Plano de Mobilidade Urbana, que prevê a integração entre os diferentes tipos de transporte, melhora da acessibilidade e a movimentação de pessoas e cargas de forma sustentável, priorizando o cidadão.

 

“Vamos discutir com toda a sociedade e o Poder Público o que é necessidade a curto, médio e longo prazo para o município. Por isso é importante a presença de todos da sociedade sanfranciscana, autoridades municipais, representantes de clubes de serviços, entidades de classe, associações de moradores, ONGs e a população em geral”, convida o arquiteto e urbanista Gustavo Manhães, sócio proprietário da Monteiro e Manhães.

 

Gargalo no transporte público

 

O grande desafio do município não é a elaboração do Plano, e sim colocá-lo em prática. Um dos gargalos que o município enfrenta é o transporte de passageiros. Com uma grande extensão territorial, São Francisco de Itabapoana contempla núcleos bastante populosos em vários distritos. O retrato da falta de um transporte de qualidade está na grande quantidade de motocicletas.

 

Quem não consegue comprar um veículo para se locomover, fica à mercê da sorte para conseguir uma condução. Como foi o caso de uma moradora da localidade de Pingo D’Água, Ana Gilda, que deu um desabafo em entrevista à Rádio São Francisco, nesta terça-feira, 15. “Estou há uma hora e meia esperando um ônibus ou van para ir trabalhar em São Francisco, e até agora nada. Acho uma falta de respeito com os passageiros”, reclamou Ana Gilda.

 

Rodoviária

 

Pronta desde 2014, a rodoviária do município ainda não foi inaugurada. É mais um retrato dos problemas do transporte público da cidade. Localizada próximo ao Portal da Cidade, só não foi inaugurada ainda devido à necessidade de obras de acesso, que, segundo o secretário municipal de Planejamento e Desenvolvimento, Florentino Cerqueira, dependeria do DER – Departamento de Estrada de Rodagem, já que a RJ-224 é uma rodovia estadual.

 

O diretor de Divisão do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Rio de Janeiro (DER-RJ), em Campos, Ivan do Amaral Figueiredo, explicou que as intervenções para os acessos à rodoviária já foram solicitadas ao setor competente do DER-RJ, e que daria um retorno à reportagem do VNOTÍCIA nesta quarta-feira, para informar sobre o cronograma das obras.

 

Falta de acessibilidade

 

Apontar para soluções que acabe com os problema da falta de acessibilidade nas vias públicas de São Francisco de Itabapoana também é outro desafio a partir do Plano Municipal de Mobilidade Urbana.

 

A ausência de calçadas padronizadas significa uma dificuldade muito grande para que cadeirantes, idosos, pessoas portadoras de alguma deficiência e mães com carrinhos de bebê se locomovam pela cidade.

 

O cadeirante Elione Elias da Silva diz que passa por muitas dificuldades para ir e vir. “Cobro permanentemente aos comerciantes que providencie rampas para nós cadeirantes. Precisamos também de calçadas padronizadas”, reclama.

 

Alça Viária

 

Desviar o trânsito do Centro de São Francisco, com duas alças viárias, é a aposta do Plano para dar mais mobilidade ao trânsito do Centro. Com isso, o tráfego pesado e intenso de veículos na Avenida Edenites da Silva Viana diminuiria. A ideia é construir um desvio para os veículos com destino ao interior e outro para os veículos com destino às praias.

 

Futuro

 

Outro ponto que contempla o Plano é a perspectiva de crescimento para o município, já que SFI está entre dois importantes Portos da Região. A Ponte da Integração, que será uma porta de entrada do município para o Porto do Açu, as estradas de acesso à Ponte e todo o fluxo de veículos que a Ponte irá gerar ao município serão levados em conta no Plano.

 

O Plano é uma exigência aos municípios brasileiros, a partir da aprovação da Lei Nº 12.587, de 03 de janeiro de 2012, sancionada pela presidente Dilma Rousseff.

 

Leia mais em GERAL