SOBRE     |     FALE CONOSCO

GERAL

Filho de pastores de Guaxindiba tem alta de UTI, após iniciar tratamento para combater meningite

POSTADO EM 13/01/2018 03:28:00 POR: VNOTÍCIA

 

Matéria atualizada às 23h30 de 15/01/18

 

O pequeno José Lucas, de apenas dois anos, da Praia de Guaxindiba, que foi internado no Hospital da Unimed, em Campos dos Goytacazes, após apresentar sintomas da meningite, teve uma melhora e foi para um quarto no final da tarde desta sexta-feira, 12. Foram cerca de 48 horas de tratamento na UTI infantil daquela unidade hospitalar, onde os médicos constataram que era meningite e iniciaram o tratamento para combater a doença.

  

Ainda envolvidos com tudo que está acontecendo com o filho, porém respirando mais aliviados com a alta da UTI, os pais de José Lucas, os pastores Rodrigo Rocha e Luiza Rocha, da Primeira Igreja Batista de Guaxindiba, conversaram com o site VNOTÍCIA.  

 

“Agradecemos a todos que manifestaram carinho e solidariedade nesse momento difícil que estamos enfrentando. Posso dizer que a experiência com minha filha, que já teve meningite no passado, serviu para nos alertar sobre os mesmos sintomas no José Lucas”, contou o pastor Rodrigo.

 

Ele disse que o filho começou a apresentar sintomas de uma gripe e uma febre baixa na terça-feira, 09, e que na quarta-feira, associado a esses sintomas, o filho apresentou rigidez na nuca. “Não esperamos aparecerem outros sintomas, como vômito em jato, por exemplo. Procuramos a pediatra dele na quarta-feira, e à tarde meu filho já foi internado na Unimed com suspeita de meningite. Ao chegar no hospital, ele começou a vomitar, aumentando ainda mais as suspeitas”, disse o pastor.

 

“A partir daí foi um sofrimento pra nós, já que, após os médicos realizarem a punsão lombar, tendo que introduzir uma agulha oito vezes até conseguirem extrair uma amostra do líquor para exame, o José Lucas teve de ir para UTI ”, conta a pastora Luiza.

 

A mãe da criança disse estar chateada com a afirmação, por parte de um site de Campos, de que a meningite foi descartada.

 

“O que foi descartada foi a meningite meningocócica, que é a forma mais grave da doença. Mas foi dito a nós da família, pelos médicos da Unimed, que o caso de meu filho é sim de meningite. O que será feito adiante é apontar qual foi o agente causou da inflamação na meninge. A suspeita é que tenha sido a do tipo meningite pneumocócica”, explica Luiza, que acredita que, o fato de ter sido descartada a meningite meningocócica tenha sido o principal motivo para, até agora, ninguém da família ter tido a recomendação de profilaxia.

 

Em entrevista à Rádio São Francisco FM na manhã desta sexta-feira, o secretário de Saúde, Sebastião Campista, disse que implantou um grupo de trabalho para acompanhar esse e outros casos que por ventura venham a surgir.

 

“O que temos a fazer agora é orientar à população para ver se o calendário das vacinas das crianças disponíveis pelo SUS está em dia, contribuindo assim para o aumento da imunidade. Reiteramos que não há motivo para pânico por parte da população, já que não temos um surto. Vamos aguardar o resultado do exame na criança para saber qual foi o agente causador, para tomarmos as medidas necessárias para garantir o bem estar da população”, disse Sebastião.

 

Outro ponto que o secretário frisou foi quando afirmou que, em se tratando de uma doença que exige a notificação à Secretaria Estadual de Saúde, há um protocolo a ser seguido. “Mesmo que queiramos tomar algumas ações para dar uma resposta rápida à população, estamos atrelados ao que preconiza o Ministério da Saúde nesses casos”, explica o secretário.

 

A Pastora Luiza sugeriu, uma vez fechando o caso para a bactéria pneumococo como causadora da meningite em seu filho, um estudo a fim de as autoridades sanfranciscanas sensibilizarem o Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde para que enviassem ao município vacinas do tipo Anti-Pneumocócica, disponível apenas na rede particular.

 

Essa vacina, por exemplo, reduz o risco de infecções graves causadas pelo Streptococcus pneumoniae ("pneumococo").  Trata-se de uma bactéria que causa infecções respiratórias comuns, como otite, sinusite e pneumonia, e também pode ocasionar infecções generalizadas (meningite, sepse).

 

Leia mais em GERAL