SOBRE     |     FALE CONOSCO

GERAL

Autópsia no corpo de Andrea aponta para afogamento como causa de sua morte

POSTADO EM 28/05/2018 16:01:00 POR: VNOTÍCIA
Foto: Facebook
Foto: Facebook

A necropsia feita na manhã desta segunda-feira, 28, no corpo de Andrea Monteiro Freitas, 38 anos, apontou para afogamento como sendo a causa de sua morte. Essa informação consta na Certidão de Óbito de Andrea, assinada pelo legista responsável pela autópsia feita no Instituto Médico Legal.

 

A delegada Ivana Morgado, responsável pela investigação da morte de Andrea, disse ao VNOTÍCIA que o laudo técnico-científico do IML, com a causa da morte, não saiu ainda, e será anexado nos próximos dias ao inquérito policial aberto na 147ª Delegacia Legal de São Francisco de Itabapoana.

 

Com a informação da morte por afogamento e a ausência de sinais de violência no corpo, as investigações seguirão outro rumo. A partir de agora é fundamental saber os últimos passos de Andrea antes de sua morte. 

 

Segundo a delegada, desde o desaparecimento da auxiliar de serviços gerais, o homem apontado pela família como sendo a última pessoa a se encontrar com Andrea na noite de seu desaparecimento, foi intimado para prestar depoimento na 147ª Delegacia de Polícia.

 

“O Depoimento dele foi marcado para a próxima quinta-feira, 31. O intimamos através de seus familiares. Esperamos que compareça para esclarecer como foi seu encontro com Andrea na noite de quarta-feira, 23, conforme afirma a família dela”, disse a delegada.

 

O Corpo de Andrea foi sepultado no Cemitério de São Francisco de Itabapoana no início da tarde desta segunda-feira, 28.

 

Relembre o caso 


O corpo de uma mulher que estava desaparecida em São Francisco de Itabapoana, identificada como Andrea Monteiro Freitas, 38 anos, foi encontrado no início da tarde deste domingo, 27, no Valão da Draga, próximo à Ponte do Funil, entre as localidades de Estreito e Funil. A Polícia Civil investigará a causa da morte de Andrea.

 

Ela estava desaparecida desde a noite de quarta-feira, 23, quando, segundo sua irmã, Juliana Monteiro, saiu para se encontrar com um homem que ela estava se relacionando. Desde então a família procura Andrea, que era auxiliar de serviços gerais e trabalhava no Hospital Municipal Manoel Carola.

 

Juliana, que mora ao lado da casa em que Andrea residia, no bairro do Macuco, disse que a irmã sofria de depressão, mas acredita que ela tenha sido assassinada. O veículo de Andrea, um Fox cinza de 4 portas, foi encontrado submerso, próximo ao corpo.

 

Foram parentes que estavam à procura de Andrea, que encontraram o corpo, por volta das 12h15. Segundo a irmã, foram encontrados hematomas no corpo. Andrea era separada e deixou duas filhas, uma de 13 e outra de 18 anos.

 

Os familiares encontraram o corpo por acaso. "Fomos até Funil procurando Andrea. Na volta, ao atravessarmos a ponte, o irmão dela foi quem olhou para o horizonte e percebeu o corpo boiando", disse o ex-marido de Andrea. A família não confirmou a versão de que o corpo foi encontrado após o suposto assassino ter informado por telefone o local onde estava o cadáver de Andrea, como sugeriu um áudio divulgado pelo Whatsapp.

 

Leia mais em GERAL