SOBRE     |     FALE CONOSCO

GERAL

Operação de combate ao tráfico de drogas em Santa Clara e Gargaú cumpre oito mandados de prisão

Seis pessoas já foram presas desde as primeiras horas desta quinta-feira, 08

POSTADO EM 08/08/2019 07:30:00 POR: VNOTÍCIA
Área em frente à 147ª Delegacia Legal foi isolada (Foto: VNOTÍCIA)
Área em frente à 147ª Delegacia Legal foi isolada (Foto: VNOTÍCIA)

 

Uma operação de combate ao tráfico de drogas foi deflagrada na manhã desta quinta-feira, 08, em São Francisco de Itabapoana. Batizada de Operação Manati, o trabalho visa desarticular uma quadrilha que atua nas localidades de Gargaú e Santa Clara.

 

Foram expedidos oito mandados de prisão, sendo que até as 9 horas da manhã foram cumpridos seis. Sete mandados são para endereços de Santa Clara e Gargaú e um em Campos dos Goytacazes.

 

Os presos são cinco homens e uma mulher, que foram levados para a 147ª Delegacia Legal de São Francisco de Itabapoana, onde há um esquema montado com a área em frente ao prédio toda isolada, como se vê na imagem.

 

Segundo o promotor de justiça Sérgio Ricardo da Fonseca, as investigações começaram no início do ano. Participam da operação agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público (GAECO/MPRJ), da Polícia Militar e a da Polícia Civil.

 

Contra os alvos da operação foram expedidos mandados de prisão preventiva. Eles já foram denunciados por atuação no tráfico de drogas e ligação com uma facção criminosa. As Polícias Civil e Militar já vinham monitorando a ação da quadrilha ao longo de 2019, com diversos flagrantes em apreensões de maconha e cocaína, além de dinheiro em espécie.

 

A partir de escutas telefônicas autorizadas pelo Poder Judiciário, acabou-se por desvendar a existência de um grande grupo criminoso, dedicado à prática de crimes como tráfico de drogas, associação para o tráfico, homicídios e roubos, entre outros.

 

Tal organização era chefiada por um homem residente em Santa Clara, de iniciais C.M.P. Ele é alvo desta operação, tendo contra ele um mandado de prisão preventiva, mas o elemento já estava preso desde o último domingo, acusado de manter uma mulher em cárcere privado na Praia de Santa Clara.

 

Um casal apontado como líder da organização criminosa em Gargaú também foi alvo da operação. O homem de iniciais L.G.O. e sua mulher de iniciais M.L.R.S. estão entre os presos.

 

Segundo o Ministério Público, as drogas eram distribuídas a todo o grupo, para que fossem alocadas nas ‘bocas de fumo’ e comercializadas. Ainda de acordo com o MP, o produto da venda beneficiava a todos os integrantes, uma vez que os lucros com as vendas dos materiais eram repartidos entre eles.

 

Diante do exposto, o MPRJ apresenta a denúncia e pede a condenação dos três líderes da organização criminosa, incursos nas penas dos artigos 33, caput e 35, ambos c/c artigo 40, VI, da Lei 11.343/2006, na forma do artigo 69 do Código Penal e ainda c/c artigo 62, I, do CP. Os demais denunciados estão incursos nas penas dos artigos 33, caput e 35, ambos c/c artigo 40, VI, da Lei 11.343/2006, também na forma do artigo 69 do CP.

 

Entenda o porquê do nome Manati

 

O nome dado à operação tem a seguinte explicação: em tupi-guarani a palavra Gargaú significa “o rio do peixe-boi”. Já Manati é uma antiga denominação dada ao peixe-boi.

  

 

Leia mais em GERAL